Cachorro pode ter alergia alimentar

A grande maioria dos pets tem como base de sua alimentação a ração seca. Sem dúvidas, esse é um alimento adequado para suprir as necessidades nutricional e alimentar dos bichinhos, ainda mais quando é acompanhado de outros tipos de alimentos, por exemplo:

  • Vegetais;
  • Cereais;
  • Proteína animal crua;
  • Proteína animal preparada adequadamente.

No entanto, com a rotina batida, é comum que os donos de pets deixem passar despercebidos alguns sintomas que indicam hipersensibilidade a algum alimento ou descubram a alergia somente quando o animalzinho passa mal depois de comer algo.

Normalmente, para não correr o risco de alergia ou para alimentar os peludos que sofrem desse tipo de problema, a ração hipoalergênica pode ser uma excelente solução. 

Entretanto, é fundamental entender os sintomas do seu cachorro e procurar ajuda especializada. Geralmente, os sintomas de alergia ou hipersensibilidade alimentar são:

  • Queda de pelo;
  • Coceiras; 
  • Pequenas lesões na pele.

É muito importante que você saiba como identificar esse tipo de problema e suas possíveis causas. 

Continue a leitura e descubra como identificar se o seu doguinho está passando por uma alergia alimentar ou hipersensibilidade a certos alimentos. Assim, você vai saber quando e o que é preciso para ajudá-lo. 

O que é a hipersensibilidade alimentar dos cachorros?

O primeiro e principal sintoma da hipersensibilidade alimentar é aquele “coça-coça” sem fim e sem motivos aparentes, como a ausência de pulgas, carrapatos e feridas.  

A hipersensibilidade alimentar é muito mais comum que uma alergia verdadeira. Ela se desencadeia por um ou mais alimentos e as reações são mais tardias, além dos sintomas serem mais amenos. 

Normalmente, o(a) dono(a) percebe o problema depois de dias, semanas ou até meses que o cão está se alimentando do alimento causador, confundindo a percepção e fazendo com que a hipersensibilidade passe batida por um bom tempo. 

Quando o bichinho está sofrendo de hipersensibilidade alimentar, ele costuma apresentar coceira localizada, geralmente nas orelhas, nos ouvidos, ao redor dos olhos, da boca, na barriga, na virilha ou entre os dedinhos. Alguns cachorros podem ter uma coceira generalizada.

Além de deteriorar o bem-estar do cãozinho, as coceiras causadas pela hipersensibilidade podem irritar a pele do seu bichinho ou causar feridas, condições muito favoráveis para bactérias e leveduras se proliferarem e piorarem o prurido, o desconforto e as feridas.

Entendendo a alergia alimentar nos cachorros

Diferentemente da hipersensibilidade, a alergia alimentar é um processo agudo que pode ser percebido pouco tempo depois do cachorro comer um alimento específico, pois em instantes pode aparecer um angioedema (quando a cara fica inchada) e/ou urticária (regiões específicas ou todo o corpo empelotado).

Na grande maioria dos casos, a alergia é descoberta somente quando o peludo come algo que nunca tenha comido e, de imediato, percebe-se que aquilo fez mal. 

É diferente de uma intoxicação, caso em que os peludos vomitam muito ou sofrem de uma diarréia descontrolada. Os sintomas da alergia geralmente são observados na aparência do animal.

Na maioria dos casos, os causadores da alergia são: corantes nos alimentos, trigo, milho, soja, carne de frango, carne bovina, leite e seus derivados e arroz. 

Mas isso não quer dizer que você deve cortar esses alimentos da dieta habitual do seu cão. Jamais faça isso! Se tiver que cortar algo, opte por alimentos livres de corantes. 

Quando não se sabe qual alimento específico causou alergia, podem ser feitos exames de sangue e saliva para descobrir de onde vem a sensibilidade, mas a forma mais certeira para saber é a dieta de eliminação.

Neste caso, sob a orientação de um profissional, o dono segue uma dieta caseira, restritiva e hipoalergênica por entre 8 a 12 semanas, que oferece ao cão apenas uma única proteína animal, que ele nunca tenha comido, acompanhada de um tubérculo neutro, normalmente a batata.

Assim que essa dieta termina, o veterinário consegue identificar exatamente qual ou quais alimentos estavam causando problemas e, a partir desse resultado, é possível construir uma nova dieta para o bichinho.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*