Como funciona a renovação celular da pele?

Como funciona a renovação celular da pele

A troca de células proporciona uma pele mais bonita e saudável. Veja como o processo funciona!

Você costuma fazer skincare? Quem gosta de cuidar da saúde da pele precisa entender a utilidade de cada produto em sua rotina. Os hidratantes, por exemplo, devolvem a água para a pele, enquanto os esfoliantes contribuem para que a renovação celular ocorra com mais rapidez.

A renovação celular, aliás, é um dos processos mais importantes para manter uma pele bonita. A remoção de células mortas permite que uma superfície mais lisa, homogênea e com aspecto saudável apareça. Essa mudança ocorre naturalmente, mas é possível estimulá-la mantendo os cuidados com a pele.

Seu skincare não é apenas estética! Entender a fisiologia da pele também é importante. Veja como ocorre a renovação celular e como seu esfoliante atua nesse processo. 

Camadas

Antes de tudo, é preciso entender que a pele, maior órgão do corpo humano, não é formado apenas pela parte visível. Ela, aliás, é dinâmica, variável, e está em constante transformação durante toda a vida humana.

É constituída de três camadas:

Hipoderme

A camada mais interna da pele. Ela armazena energia enquanto mantém o corpo aquecido. Além disso, é formada por células adiposas, fibras especiais de colágeno e vasos sanguíneos.

Derme

A camada intermediária da pele é mais grossa, flexível e, ao mesmo tempo, firme. Ela traz os dois compostos que formam o segredo vital para uma aparência mais jovem: o colágeno e a elastina. Formados por uma substância impregnada de ácido hialurônico, esses tecidos conjuntivos dão força e flexibilidade à pele, fazendo com que as expressões faciais não sejam marcadas.

Epiderme

É a camada externa da pele, a mais visível, que sofre as maiores agressões dos agentes externos (radiação solar, objetos cortantes e poluição). A epiderme também é formada por cinco subcamadas de células chamadas queratinócitos. Produzidas na subcamada basal (a mais interna), elas vão migrando até a camada mais superficial durante seu amadurecimento, em um processo chamado queratinização ou cornificação. 

A renovação celular é justamente o processo de queratinização da pele.

Como ocorre

A renovação celular acontece na camada basal. Ela conta com quatro tipos de células com funções bem específicas. É nessa camada em que elas, chamadas de células-tronco, se dividem  — em um processo chamado mitose. Aquelas com baixa ou nenhuma capacidade de divisão são chamadas de células amplificadoras transitórias. Elas serão responsáveis por passar pelas camadas  espinhosa e granulosa — subcamadas da epiderme —, onde vão liberar corpos lamelares e, com isso, promover a produção de ceramidas, ácidos graxos e colesterol.

Por fim, as células amplificadoras transitórias chegam à camada córnea, a mais superficial da epiderme. No local, elas funcionam como um “escudo” contra as impurezas e agressões do dia a dia. Depois, morrem e se desprendem, concluindo sua missão na pele.

Diminuição do processo

Com o passar do tempo, o processo de renovação celular vai ficando mais lento. Se antes dos 26 anos a pele se renovava a cada 28 dias, depois desse período ela pode demorar até 40. Isso, claro, ocorre gradativamente — não será de uma hora para outra que se perceberá essa diferenciação no aspecto da pele. 

O mais interessante é que essa lentidão do processo não é algo tão definitivo. Embora o corpo realmente fique mais lento com o passar do tempo, é possível incentivar a renovação celular para que ela ocorra com mais rapidez.

A importância do esfoliante

A esfoliação é a fase do skincare mais importante para a renovação celular. Ela remove as células mortas que ainda estão sob a superfície da pele e permite que amplificadoras transitórias mais novas cheguem à camada córnea com mais rapidez. Além disso, ela desobstrui os poros, removendo impurezas e diminuindo as chances de aparecimento de cravos e espinhas.

O mais importante é entender que um bom esfoliante não precisa ser agressivo. Esfoliantes químicos, por exemplo, só precisam ser aplicados sobre a pele. Eles removem a camada de células mortas sem que haja necessidade de atrito de uma superfície contra a outra. Com isso, a camada cutânea se renova sem agressões.

Vale lembrar que é importante evitar radiação solar após uma esfoliação química. Além disso, é preciso manter um espaçamento entre uma renovação celular e outra, já que a pele precisa eliminar novas células antes de passar novamente pelo processo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*