Cuidados que todo profissional da saúde precisa ter com idosos

Os idosos possuem a imunidade mais baixa que a população em geral e, por isso, muitos cuidados devem ser tomados quando se trata de sua saúde.

É preciso garantir que essas pessoas tenham qualidade de vida e, para isso, é necessário que muitos profissionais se envolvam e dediquem tempo e cuidado para eles.

Assim, uma clínica geriátrica é uma ótima alternativa para idosos que exigem uma maior atenção, que se encontram doentes.

Já para casos menos sérios, a melhor opção é uma casa de repouso.

Embora ainda haja muito preconceito quanto às casas de repouso, hoje em dia ela está longe de ser sinônimo de mal cuidado ou abandono.

É possível encontrar lugares que contem com um grande time de funcionários, todos bem capacitados, que ofereçam atividades diárias para os moradores.

É necessário escolher um local próximo da casa de parentes, para que as visitas sejam constantes e avaliar a qualidade das instalações.

Da comida, dos remédios, tudo deve estar à altura do seu ente querido.

Ao procurar por Asilo preço deve se tomar muito cuidado, pois preços muito baixos podem indicar perigo.

Os lugares mais caros são os que tratam de pessoas que exigem tratamentos médicos mais intensos ou cuidados mais frequentes, pois há necessidade de equipamentos, de profissionais bem qualificados e em maior quantidade etc.

A dica é fazer uma pesquisa e considerar as vontades do idoso. Afinal, é muito melhor optar por uma casa de repouso do que deixar o idoso sozinho em casa enquanto se está trabalhando.

Os profissionais da saúde são expostos a riscos

O profissional da saúde que trabalha com o público de terceira idade está sempre em contato com o raio x, uma técnica utilizada para fazer o diagnóstico e acompanhamento de diversas doenças.

Valendo-se de radiação que atravessa o corpo para gerar as imagens necessárias. Sendo assim, é fundamental que haja proteção para raio x.

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) radiológicos incluem aventais de proteção, óculos plumbíferos, luvas de proteção e até sobretudos.

Além disso, há EPIs que devem ser usados pelos pacientes, sobretudo os mais sensíveis (como os idosos), por exemplo o protetor abdominal.

Outro exemplo válido acontece na realização do raio x panoramico, na qual é recomendável que se use protetor da tireóide, ainda que alguns médicos não considerem tão necessário.

Esse tipo de radiografia, muitas vezes chamada de odontológica, objetiva conseguir uma imagem completa das estruturas faciais do paciente, incluindo o maxilar e a mandíbula, além de todas as estruturas de suporte.

Garantir qualidade de vida é essencial

Cuidados paliativos para idosos é uma especialidade do ramo da saúde responsável por cuidar de pacientes com doenças terminais, tendo como principal objetivo minimizar ao máximo a dor do idoso e de sua família.

Assim, consegue-se que o final da vida seja o melhor possível. Há um amplo grupo de profissionais que podem prestar esses cuidados:

  • Médicos;
  • Enfermeiros;
  • Psicólogos;
  • Psiquiatras;
  • Psicanalistas;
  • Assistentes sociais;
  • Nutricionistas;
  • Fisioterapeutas.

O tratamento paliativo considera as vontades do paciente acima de tudo, ele pode escolher continuar no hospital ou ir para a casa.

Ficar com a família, além de decidir se deseja o uso de remédios ou quais profissionais gostaria que se envolvessem em seu quadro.

Afinal, o foco não é tratar a doença, mas melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, para que seu processo de passagem seja o menos doloroso e difícil possível.

Muitos hospitais e instituições contam não apenas com os cuidados tradicionais, mas dão espaço para a religiosidade.

É possível contar com a presença de representantes religiosos, como padres ou pastores e mesmo fazer rituais. Isso porque, para muitos, a espiritualidade é um mecanismo poderoso para se lidar com momentos sombrios.

Também vale pontuar que contar com profissionais encarregados da saúde da mente desses pacientes é crucial.

A morte é um dos assuntos mais difíceis para a humanidade e pode causar diversas crises existenciais e angústias.

O paciente que recebeu uma estimativa de tempo de vida restante pode acabar agravando algum quadro psicológico anterior, como a ansiedade ou a depressão e isso causaria um imenso sofrimento para os seus dias finais.

Dessa forma, é necessário garantir que se leve paz e tranquilidade para essas pessoas.

No fim, conclui-se que os profissionais dessa área devem buscar sempre levar conforto e qualidade de vida para os seus pacientes e não podem se esquecer de cuidar também da própria saúde.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*