Exame de DNA: para que serve hoje em dia?

O exame de DNA é muito utilizado atualmente. Embora seja um exame altamente técnico e confiável, muitas novelas e séries colocam, em seu enredo, “falsos exames de DNA”, como se isso fosse possível e pior, fácil de se conseguir. 

Mas, você sabia que o exame de DNA tem uma confiabilidade de 99,99%? E que é um exame utilizado tanto em processos jurídicos de paternidade, de investigação criminal, como também para identificar doenças? 

Vamos saber mais sobre para que serve o exame de DNA atualmente. Confira! 

O que é o exame de DNA? 

 

 

Um exame de DNA é um exame realizado por um laboratório, no qual o material genético de um indivíduo é analisado. 

O material genético pode ser uma amostra de tecido, um fio de cabelo, células removidas com uma escovinha da parte de dentro da bochecha, ou ainda sangue, saliva ou esperma. Todos esses materiais contêm células do indivíduo, ou parte de células, as quais serão analisadas para obtenção do seu DNA da pessoa. 

Com o DNA obtido, é possível a realização do objetivo do exame, conforme a situação. 

Com isso, é analisado o genoma, ou seja, o conjunto de genes da pessoa, as quais determinam todas suas características. 

Esse exame pode ter diversos objetivos. Vamos ver quais são, com maiores detalhes. 

Para que serve o exame de DNA? 

1 – Análise de doenças

 

Um teste de DNA pode mostrar se aquele indivíduo tem ou tem chances de ter uma doença específica. Isso vale para diversas doenças, tais como: 

  • Mal de Alzheimer; 
  • Síndrome de Parkinson; 
  • Intolerância à lactose; 
  • Câncer de mama; 
  • Lúpus. 

Além disso, um pedaço de tecido contendo uma massa tumoral pode ter seu DNA analisado, ajudando na identificação do tipo e subtipo daquele câncer. De fato, testes de DNA são bem comuns em grandes hospitais ligados ao tratamento de câncer, por exemplo. 

Testes genéticos para identificação de probabilidade de doenças, como câncer de Mama, por exemplo, possuem tratamento polêmico em alguns países. No caso específico do câncer de mama, algumas mulheres, portadores de um gene específico preferem remover as mamas antes do desenvolvimento do câncer. 

É o caso da atriz Angelina Jolie, cuja mãe, tia e avó faleceram de câncer e ela era portadora do gene. Assim, a atriz decidiu retirar as mamas para zerar a possibilidade de desenvolver esse tipo de câncer. 

2 – Teste de paternidade 

 

 

Sem dúvida, essa é a utilização mais comum e mais conhecida do exame de DNA. 

Através dele, um indivíduo pode questionar ou confirmar a paternidade de uma criança ou então de uma outra pessoa. 

Para isso, esse exame é solicitado pelo Juiz em um processo judicial. Somente laboratórios cadastrados fazem esse exame. 

As partes ou a parte interessada comparece ao laboratório no horário estabelecido pela justiça para coleta do material. 

Os resultados, então, são encaminhados lacrados para o juiz do caso, o qual também recebe um aviso de recebimento (AR). 

Assim, os resultados são aberto na frente das partes, para que não haja dúvidas sobre o processo. 

3 – Pedido de herança 

 

 

Em alguns casos, filhos não reconhecidos, após o falecimento de um dos genitores, solicita o exame de DNA para comprovação da filiação, para ter direito à herança. 

Geralmente, o caso corre em segredo de Justiça e é de maneira semelhante ao reconhecimento de paternidade, mesmo quando o genitor já é falecido. Afinal, restos mortais como os ossos podem ser usados. Para isso, é realizada a exumação do cadáver. 

4 – Aconselhamento genético 

 

 

O aconselhamento genético é uma área da Medicina importante, pois nela casais com dificuldades de engravidar ou que têm histórico de abortos repetitivos, ou ainda que têm doenças crônicas na família podem verificar como é seu DNA. 

Assim, é possível aconselhar geneticamente os casais, para eles terem o total conhecimento da realidade genética e se vale a pena continuar insistindo na reprodução, utilizando outras ferramentas relacionadas à fertilidade, como a inseminação artificial ou então a fertilização in vitro (FIV). 

Por que o exame de DNA é tão importante? 

 

 

O código genético de um indivíduo é sua impressão genética. Afinal, existem mais de 30 mil genes no indivíduo, formado por braços de DNA. 

Com isso, a confiabilidade do exame de DNA é de mais de 99%. E é a maneira mais fidedigna para se certificar que um indivíduo é ou não é pai de um bebê. 

Ou então para identificar doenças, como as que foram descritas. 

Além disso, no caso do aconselhamento genético, casais podem ter a noção exata da probabilidade de conseguirem conceber ou se alguma doença podem complicar a gestação, devendo partir para outros caminhos. 

Portanto, o teste de DNA faz parte da realidade da medicina, sendo um exame científico, altamente confiável e importante na sociedade atual, por todas as razões descritas nesse artigo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*