Gestação: O que é eclâmpsia e pré eclâmpsia?

eclâmpsia

A eclâmpsia e a pré-eclâmpsia são complicações que podem ocorrer durante a gestação, e por isso precisam de atenção e cuidado.

Em algumas mulheres, a eclâmpsia ou pré-eclâmpsia só pode ser explicada durante o parto ou mesmo após o parto.

Embora a maioria das gestantes com pré-eclâmpsia seja tratada até a 37ª semana de gestação, que marca o momento da gravidez, elas apresentam alto risco de complicações, incluindo risco de morte da mulher ou do bebê.

Neste artigo, explicamos tudo o que você precisa saber sobre pré-eclâmpsia e eclâmpsia.

Para você que está lendo este artigo, mas se interessa em aprender exatamente como emagrecer de forma rápida, você pode entrar no premium saúde Oficial.

Se caso você esteja tentando emagrecer mais rápido, tente tomar sibutramina que pode te ajudar da forma mais rápida possível, ou venvanse para emagrecer

eclâmpsia

O que é Pré-eclâmpsia?

A pré-eclâmpsia é uma complicação da gestação caracterizada por pressão arterial e proteinúria, que quer dizer, perda de proteína na urina, que se inicia após a 20ª semana de gravidez. 

Em algumas pacientes, a pré-eclâmpsia durante a gestação pode causar sérios danos a órgãos, como: fígado, rins, pulmões e cérebro.

Existem quatro tipos de pressão alta que podem ocorrer durante a gestação:

  • A hipertensão crônica é a hipertensão arterial que a paciente apresenta antes da gravidez, bem como persiste durante e após a gestação.
  • Hipertensão gestacional é a hipertensão arterial que ocorre após a 20ª semana de gestação em mulheres que nunca tiveram hipertensão.
  • Eclâmpsia na gravidez é o aparecimento de pressão alta após a 20ª semana de gravidez combinada com a perda de proteína na urina, conhecida como proteinúria. E a eclâmpsia se cura logo após o parto.
  • A pré-eclâmpsia é atribuída à pressão alta crônica, uma toxina da gravidez que ocorre em mulheres que já tiveram pressão alta.

A pré-eclâmpsia na gestação ocorre devido a dificuldades no desenvolvimento da placenta, nos vasos durante o início da gravidez, quando a placenta é inserida no útero. 

À medida que a gestação vai se desenvolvendo, a placenta aumenta e a falta de vascularização leva a um fluxo sanguíneo deficiente, que pode provocar uma isquemia placentária. 

A placenta, que sofre de má circulação sanguínea, produz certas substâncias que, quando entram na corrente sanguínea da mãe, provocam aumento da pressão arterial e danos nos rins.

Para você que deseja saber mais sobre assuntos sobre saúde, você pode visitar o site cytosaude.org que lá possui um blog que lhe ajudará a comprar misoprostol

Tratamento para eclâmpsia e pré eclâmpsia?

gravidez saudável

O tratamento definitivo é a indução do parto, porém, nem sempre a pré-eclâmpsia acontece em momentos que possam ser feitos a indução do parto sem prejuízos para o feto. 

Por outro lado, não realizando a indução do parto, pode trazer  consequências sérias para a mãe. 

Desta forma, para tomar a decisão de continuar com a gestação, primeiramente deve-se levar em consideração de quantos meses a gestante está, e o quão desenvolvido o feto está, pois desta maneira, essa decisão não trará nenhum risco para a mãe e nem para o bebê.

A hipertensão arterial precisa ser controlada, podemos dizer que isso não influenciará no desenvolvimento da doença e muito menos trará risco de morte para a mãe e nem para o bebê.

Porém, é preciso que o controle da pressão arterial durante a gestação seja feito sob o acompanhamento de um profissional da saúde.

O que é Eclâmpsia?

A eclâmpsia é a hipertensão mais grave durante a gestação.

A eclâmpsia é caracterizada pela ocorrência de uma ou mais convulsões em uma gestante.

Apesar do que muitas pessoas pensavam antigamente, a eclâmpsia e a pré-eclâmpsia não se espalharam para a outra. 

A eclâmpsia é uma manifestação muito séria da pré-eclâmpsia.

De fato, a maioria das mulheres grávidas com pré-eclâmpsia grave não desenvolve pré-eclâmpsia e, embora isso seja raro, mulheres com pré-eclâmpsia leve tornam as convulsões mais difíceis. 

Portanto, não há progressão entre as duas doenças.

Uma grande porcentagem de convulsões ocorrem por volta do nascimento ou até 48 horas após o nascimento do bebê. 

Os ataques duram cerca de 1 minuto e geralmente começam com dor de cabeça, visão turva ou dor abdominal intensa. 

O tratamento pode ser feito através de sulfato de magnésio.

Veja também outros artigos em nosso site, e aproveite para visitar o site sobre cytotec com misoprostol.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*