O ESTRESSE PSICOLÓGICO E O CÂNCER DE MAMA

PSICOLÓGICO

É fácil ver as evidências sobre como o estresse psicológico atua diretamente na progressão de um tumor, principalmente quando falamos no Câncer de mama. Já que esse tipo de tumor interfere diretamente na autoestima da mulher.

 

Cerca de 50% das mulheres com câncer de mama relatam que sofrem com estresse pelo próprio risco da doença e pelo risco de deformidades no tratamento, como a perda do cabelo ou a retirada da mama.

 

Com isso, pesquisas indicam que uma mulher estressada por conta de um tumor aumenta o consumo de álcool e tabaco, além de piorar os hábitos alimentares e os exercícios físicos e criar uma rotina de insônia e cansaço crônico, algo já comum na doença.

 

E é de consenso comum entre a comunidade médica que, mesmo que a pessoa não tenha desenvolvido ainda um tumor, o estresse deixa o corpo mais suscetível ao câncer. Então, você precisa encontrar uma forma de melhorar isso.

 

EFEITOS TUMORAIS E SUAS EVIDENCIAS BIOLÓGICAS

 

O estresse psicológico e a ansiedade produzem respostas neuroendócrinas que alteram as vias imunológicas, angiogênicas e inflamatórias do organismo, pois liberam hormônios como glicocorticóides e catecolaminas. Isso gera um prejuízo direto na resposta dos 

anticorpos.

 

O estresse pode romper o padrão normal do cortisol, fator que implica diretamente no aumento do risco de iniciação ou progressão de um tumor. E particularmente no Câncer de Mama, os hormônios do estresse têm um papel importante no dano e no reparo do DNA das células cancerígenas que afetam a mama.

 

“As células cometem erros quando estão estressadas, e esses erros celulares são reproduzidos, o que leva a um crescimento celular descontrolado e ao surgimento de um câncer em decorrência desse descontrole.”

 

Estudos da Dr. Lin Y Wang que já duram 10 anos acompanham mulheres que encontraram aumento de 50% no risco de câncer de mama entre as mulheres que haviam apresentado evidências de uma vida estressante e 2x mais riscos nas que tiveram uma vida altamente 

estressante. 

 

NECESSIDADE DE INTERVENÇÃO NO TRATAMENTO DO ESTRESSE

 

É necessário uma intervenção, que inclua abordagens cognitivo-comportamentais e mindfulness, para que exista um suporte ao controle do estresse, pois isso tem potencial de melhorar o tratamento e o bem estar (além da sobrevida) dos indivíduos com tumores de mama.

 

A relação entre o estresse e a cura é enorme. Por isso, pacientes e médicos não devem temer as abordagens psicossociais que podem fazer parte do programa de tratamento do câncer de mama. Isso porque o estresse psicológico é considerado uma “caixa de pandora” que os médicos estão relutantes em abrir.

 

COMO DIMINUIR O ESTRESSE?

 

Quando as situações fogem do controle no nosso dia a dia, uma das principais consequências é o que elas fazem com nossa saúde mental e física. Uma pessoa que está com um pico de estresse facilmente se envolve em conflitos que normalmente ela não se tem, e que provavelmente vai levá-la a consequências graves. 

 

Isso porque o estresse é um inimigo cada vez mais comum em nossas vidas.

Além de fatores comuns para um esgotamento mental, como problemas profissionais, financeiros e pessoais, por conta da Covid19 e seus desdobramentos, muitas pessoas acabaram virando ansiosas ou estressadas do dia para a noite.

 

Estudos revelaram que os sintomas de estresse e ansiedade aumentam 80% no Brasil só em 2020, impulsionados pelos problemas que a pandemia trouxe ao dia a dia de todos.

 

DICAS PRÁTICAS PARA REDUZIR O ESTRESSE E A ANSIEDADE

A definição de estresse é a resposta física do organismo para um determinado estímulo, nesse caso, de fugir ou de lutar contra um medo ou ataque iminente. 

 

Essa condição libera hormônios e substâncias químicas que preparam o indivíduo para esse estímulo.

E tenho uma péssima notícia para te dar… viver livre de estresse é impossível!

 

Mas com algumas mudanças nos seus hábitos diários você pode reduzi-lo, se preparando melhor para sobreviver às situações de adversidades. Veja abaixo algumas dicas simples para diminuir o estresse:

 

Pratique exercícios físicos

 

O primeiro passo é sair do sedentarismo. O exercício físico produz endorfina, que é o hormônio do bem estar e que atua diretamente para baixar a quantidade de cortisol.

Procure meditar

 

A higiene mental faz você focar mais em si mesmo e menos nos problemas que te rodeiam. Escolha um local calmo, feche os olhos e respire profundamente. Alguns sons e aromas podem te ajudar a relaxar.Tente praticar de 5 a 10 minutos diários.

 

Tenha uma dieta mais equilibrada

 

Alimentos como ômega 3, salmão e sementes de chia beneficiam o sistema nervoso, combatendo o esgotamento mental. Nozes, amendoim e óleo de prímula também serve para ansiedade

 

Procure fazer as refeições em horários certos (para não ficar de mau humor por fome) e inclua sempre alimentos saudáveis como frutas, verduras, legumes e proteínas, evitando os produtos industrializados.

 

Comemore pequenas conquistas

 

Comece valorizando as coisas positivas que acontecem no seu dia a dia. Esses momentos de felicidade são importantíssimos para renovar suas energias e tirar o foco do estresse.

 

Procure ajuda profissional

 

Se os eventos de estresse são comuns e você acha que não consegue mais administrar isso sozinho, não tenha vergonha e procure ajuda de um profissional, como um psicólogo ou psiquiatra.

 

Evite se automedicar e tenha em mente que deixar o problema ficar cada vez maior só vai piorar o seu quadro. Os cuidados com o seu corpo e sua mente vão trazer mais saúde, tranqüilidade e qualidade de vida. E é isso que todo mundo busca no atual estado da nossa sociedade, não é mesmo? 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*