O que é o ciclo clínico na medicina?

O que é o ciclo clínico na medicina?
O que é o ciclo clínico na medicina?

Entenda o que é o ciclo básico e o ciclo clínico na graduação de medicina

O curso de graduação em medicina é um dos mais procurados e disputados do país. Depois de concluída a primeira etapa de formação e da realização de um  curso intensivo, os recém-formados costumam partir para a residência médica.

No entanto, a trajetória até a residência médica é longa. Quem já passou pelo vestibular, foi aprovado e está dando início à graduação, deve conhecer as principais características da faculdade de medicina. 

 

Curso de medicina

O curso de medicina faz parte dos cursos de ciências biológicas. A graduação tem uma duração estimada de 12 semestres, com isso, o estudante vai precisar de, no mínimo, seis anos para concluir a fase de graduação na área.

Grande parte das instituições de ensino superior que oferecem o curso de medicina, estruturam as aulas em período integral. Portanto, a dedicação do estudante deve ser exclusiva para o curso, sem a possibilidade de estudar só meio turno, como acontece em outros cursos.

A formação permite que o estudante tenha acesso a conhecimentos que permitam prevenir, diagnosticar e tratar doenças. Desta forma, a grade curricular inclui aulas de anatomia, fisiologia, histologia, imunologia, patologia, biologia celular e molecular, e embriologia. 

 

Diretrizes Curriculares Nacionais para graduação na área de saúde

O Ministério da Educação estabelece as diretrizes curriculares nacionais para vários cursos de graduação. Os cursos de medicina não fogem à regra, eles precisam ter os conteúdos divididos com base nas orientações do MEC: 

 

  1. Ciclo básico do curso de medicina: entre o primeiro e o segundo ano de graduação.
  2. Ciclo clínico do curso de medicina: entre o terceiro e o quarto ano de graduação. 
  3. Internato do curso de medicina: entre o quinto e o sexto ano de graduação. 

 

Esses três ciclos permitem que o estudante entre em contato com as principais rotinas da profissão, garantindo uma formação acadêmica completa e tornando o estudante apto para exercer a medicina.  

 

Ciclo básico na medicina

A primeira etapa da graduação é chamada de ciclo básico. Nela, o estudante vai aprofundar os seus conhecimentos básicos sobre a área. Esta etapa é fundamental para preparar o aluno para as etapas seguintes. 

Nos primeiros semestres o aluno vai ter aulas sobre Estatística Aplicada, História da Medicina, Anatomia, Bioquímica, Fisiologia, Histologia, Ciências Sociais e Filosofia. 

 

Ciclo clínico na medicina

O terceiro ano da medicina é marcado pelo início do que chamamos de ciclo clínico. Nesta etapa o aluno já tem uma boa base de informações sobre os temas mais importantes da área de ciências biológicas.

Este conhecimento é fundamental para a etapa clínica, já que é o momento em que o aluno vai aprofundar o conhecimento sobre temas como: patologia, epidemiologia, imunologia, propedêutica e semiologia. 

Na etapa do ciclo clínico o estudante passa a aprender sobre sintomas, doenças, tratamentos e formas de prevenção. 

Outra característica que torna essa etapa super importante para o estudante é que no ciclo clínico ele passa a ter contato com pacientes, aprendendo a interpretar exames laboratoriais, tomografias, ressonâncias magnéticas, eletrocardiogramas, entre outros. 

A medicina é uma profissão de interpretação e diálogo entre médico e paciente. No ciclo clínico, o estudante vai aprender como captar dados clínicos durante a anamnese com o paciente.

Essa anamnese depende de uma boa capacidade do profissional de coletar e interpretar informações sobre o histórico do paciente, sintomas iniciais e da observação clínica. 

Muitas aulas do ciclo clínico são realizadas em ambulatórios, consultórios e hospitais-escola. As aulas são marcadas pelo início do contato com a verdadeira prática da profissão no mercado de trabalho. 

 

Internato

A etapa final do curso de medicina é chamada de internato. Nesse momento, o aluno deve ter uma vivência 100% prática da profissão, por isso, realiza atendimento a pacientes (com supervisão de um médico).

Pelo menos 35% do curso deve ser realizado na fase de internato, por isso ele é chamado de estágio obrigatório. Realizado em hospitais, postos de saúde, clínicas e unidades básicas de saúde, serve para que o aluno conheça a prática profissional de forma integral e passe a se familiarizar com ela. 

Na fase de internato, além dos atendimentos médicos, o estudante também precisa fazer plantões de urgência e emergência. É sem dúvidas a fase que demanda um esforço maior, especialmente em razão da alta carga de trabalho, mas que se mostra essencial para que o aluno coloque em prática todo o conhecimento teórico adquirido ao longo dos anos de estudo. 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*