Quais as principais doenças respiratórias e como tratá-las

Quais as principais doenças respiratórias e como tratá-las

As doenças respiratórias são muito comuns, e quase todas as pessoas vão desenvolver alguma delas ao longo da vida, seja no formato de uma gripe simples ou uma rinite crônica. As doenças respiratórias são transmitidas a partir do ar, quando tem algum vírus ou bactéria que entra no sistema respiratório e causa complicações nessa área do corpo.

Geralmente, elas podem ser evitadas com boas práticas de higiene, proteção individual e com a melhora da qualidade do ar, que pode ser obtida a partir de um climatizador de ar, por exemplo, que ajuda a manter o ar do ambiente mais limpo de micro-organismos.

Sabendo disso, separamos neste artigo as principais doenças respiratórias que existem, como elas afetam o organismo e de que forma podemos tratá-las.

Rinite crônica

A rinite crônica é um tipo de inflamação na parte interna do nariz e pode causar sintomas como espirros, nariz entupido, tosse seca e até dor de cabeça.

Existem diversos fatores que causam a rinite crônica, alguns deles podem ser pólen, mofo, poluição do ambiente, mudanças bruscas de temperatura, alergia a animais ou a ingestão frequente de alimentos picantes.

Para tratar a rinite crônica, é necessário ir a um médico otorrinolaringologista para iniciar o tratamento, que geralmente incluem anti-histamínicos e sprays nasais. Em casos mais complexos, pode ser necessária uma cirurgia, mas esse método é mais raro.

Gripe

A gripe é uma infecção respiratória muito comum causada pelo vírus Influenza e que gera sintomas como tosse, dor de cabeça, febre e coriza. Ela é mais comum no inverno e, geralmente, dura um pouco mais de uma semana.

O tratamento dessa infecção pode ser feito em casa, com repouso e medicamentos para dores e febres. Para evitar pegar a gripe, a pessoa pode incluir hábitos de higienização das mãos e dos demais objetos com os quais mantém contato constante e tomar a vacina contra a gripe, disponível no SUS.

Asma

Já a asma é outro tipo de inflamação, mas que, dessa vez, ocorre nas partes internas do pulmão, causando inchaço e reduzindo a capacidade de passagem do ar, fazendo com que a pessoa sofra de falta de ar e dificuldade de respirar em alguns momentos. Ela é mais frequente em crianças do sexo do masculino e sua causa é desconhecida.

A asma não possui cura, fazendo com que a pessoa precise realizar o acompanhamento com pneumologista e utilizar os medicamentos indicados por ele, que podem ser corticoides, anti-inflamatórios e broncodilatadores. Exercícios respiratórios com a ajuda de um fisioterapeuta também podem amenizar os sintomas da condição.

Faringite

A faringite ocorre quando vírus ou bactérias atingem a região da faringe, no fundo da garganta, e causam uma infecção no local. Os sintomas principais são dor para engolir, febre e garganta com sensação de arranhar.

O tratamento dessa infecção depende do que a causou, se foi um vírus ou uma bactéria. O ideal é fazer uma consulta com um otorrinolaringologista ou clínico geral, para ele indicar os antibióticos, em caso de faringite bacteriana, ou outro medicamento para aliviar os sintomas.

Pneumonia

A pneumonia é uma infecção que atinge os pulmões diretamente nos alvéolos, que funcionam como sacos de ar. A doença pode infectar os dois pulmões ao mesmo tempo, sendo causada por fungos, vírus ou bactérias.

Seus sintomas variam para cada pessoa, mas geralmente há febre alta, dor para respirar, calafrios, tosse com catarro e falta de ar. Para tratar a pneumonia, é necessário se consultar com um médico para ele receitar os medicamentos que vão eliminar a infecção, aliviar a dor e reduzir a febre.

COVID-19

Por fim, temos a COVID-19, que é uma doença respiratória aguda que atinge o sistema respiratório, causada pelo vírus SARS-CoV-2.

Seus sintomas são semelhantes aos da gripe, com tosse, febre e dores no corpo. Mas à medida que o tempo passa, pode ficar mais grave e atingir os pulmões, causando, assim, falta de ar e dificuldade para respirar.

Os sintomas podem durar até 14 dias após a infecção, e o tratamento pode ser feito em casa, para casos mais leves, ou com internação no hospital, para casos mais graves, que necessitem de procedimentos e máquinas para ajudar a respirar. Para evitar contrair o vírus, o indicado é tomar a vacina contra COVID-19, conforme o Ministério da Saúde indica.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*